11 de nov de 2009

O Partido é para o Povo ou para si mesmo?

charge-dirceu-lula-cpi Ao longo de qualquer pequena cronologia é fácil manipular datas e colocando os eventos que interessam à sustentação de algum argumento. Não é minha intenção.

O circo do Coalhada já andava por São Bernardo, meu irmão Alex lembrou isso outro dia, foi o maior marketing que eu já vi, e o Lula fazia seus discursos (não no circo, isto é outra história).

Tudo parecendo uma maravilha, seria “Alice no País das Maravilhas”, muitas pessoas dizem e escrevem sobre os frutos que hoje se colhe das plantações de governos passados. Penso que seria possível ter andado antes por caminhos que só hoje passamos?

A vida é feita de escolhas, no âmbito político as escolhas, só serão escolhas se encantar a maioria, parecem ter sido (... reflexão) adiadas???!!!

Os Gladiadores:gladiador

1985- por entenderem que não se tratava de um confronto entre iguais, três parlamentares do PT ─ Airton Soares, José Eudes e Bete Mendes ─ votaram em Tancredo. Foram expulsos pela direção.

1988- na época deputado federal, Luiz Inácio Lula da Silva qualificou o presidente José Sarney de “o grande ladrão da Nova República”, aqui acho que ele estava menos embriagado, pelo poder, é claro. No mesmo ano, a bancada do PT na Constituinte rejeitou o texto da nova Constituição.

1993-  Luiza Erundina, uma das fundadoras do PT, aceitou o convite do presidente Itamar para assumir um ministério. Foi expulsa. Acho que seria hora, a ponte para unir o País em um ideal, mas o medo de que os louros ficassem com a situação falou mais alto.

1994- ainda no governo de Itamar, os parlamentares do PT lutaram com ferocidade para impedir a aprovação do Plano Real.

1995 até o fim de dezembro de 2002(Gov. do FHC)- a bancada do PT votou contra todos os projetos, medidas e idéias, todas, sem exceção. Uma das mais combatidas foi a que instituiu a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Acrescento ainda a provão do ENEM, projeto do PSDB que o PT brecou todas as votações, só não achei o ano.

Oposição é legitimo, mas o Lula não admite sequer criticas formuladas sem aspereza pelo antecessor que atacava com virulência. É inveja e o espelho reflete o contrário...

Lula não esquece que foi derrotado por FHC duas vezes, ambas no primeiro turno. E sabe que o vencedor nunca inveja o vencido.

Não aceita qualquer crítica ao seu governo. Se estivesse realmente interessado no bem do Brasil, o “passeio” que hoje vivemos teria já acontecido há algum tempo, e hoje estaríamos vivendo já outra fase.

E sabe Deus o que nos espera. Alguém vai ter que, um dia, pagar essa conta.

contatos, dicas, reclamações, etc… mande um e-mail blog-mail

clique no RSS e saiba antes oque penso!!!

já há um site em construção, faça parte da corrente e ajuda a aprimorá-lo:

http://sites.google.com/site/correntemoral

2 comentários:

Hefren disse...

Como se diz lá na minha terra, "aí é que tá" ... tudo bem um cara mudar de posição, mudar de ideia. Mas, e a coerencia? Fica difícil de entender como a inflexibilidade se transmuta em ampla tolerância. Mas o poder é inebriante, e a sua manutenção leva seus detentores a lançar mão de sortilégios que não admitiriam fora dele.

Marcelo disse...

mudar de partido, cadeira e opinião, faz parte do FOLCLORE POLITICO do Brasil. É saudavel e mostra maturidade, o Lula está certo em ter mudado se não jamais teria virado presidente.

Postar um comentário

Registre seu comentário (Faça parte desta corrente)

 
;